Há postos para a poesia?

Rudimentos vocais

Aspirações orais

Há dias sonoros

Inquietações hertzianas

Ortografias abertas

Poesias ampliadas

Ondas magnéticas

Escavadas na garganta

Sintonias do tempo

In ti mi da de

Arte Memória Política Opinião

Fruição

Meditação

 

E tudo a postos para escutarmos os espíritos?

Amantes da poesia, camaradas ouvintes, coreógrafas da língua, encenadoras dos lábios

Prontas para afinarmos os espíritos?

Artesãs de palavras, operárias do texto, juristas das frases feitas e cuidadoras de ideias

Tudo a postos para sermos poesia?

Há postos para a poesia?

 

 

 

 

Raquel Lima

Em qual playlist quer adicionar esta peça?

Tem a certeza que pretende eliminar a lista ?

Necessita de estar registado para adicionar favoritos

Login Criar conta
Partilhar

Duas horas é pouco tempo para a pergunta que lançámos na Escola de Labirintos da EIRA – Plataforma de rádio, que a OSSO organiza anualmente nas Caldas da Rainha. Como era o mundo antes do primeiro poema?
Contudo, as 14 crianças entre os 6 e os 10 anos que participaram na oficina não se acanharam e criaram uma proto-cosmogonia poética que agora vem a ser o episódio zero do programa Poetas em Construção.

Preparem-se infantes oeirenses: em breve chegaremos às vossas escolas com novos desafios poético-radiofónicos.

data de publicação
20.08.2022
Texto, vozes e gravação
João Pedro, Gabriela, Artur, Salvador, Duarte, Electra, Maria, Argentina, Ariana, Luana, Vitória, Rafael, Matias e Manuel
Apoio técnico e montagem
Sandy Gageiro
Oriana Alves
masterização
Sérgio Milhano, PontoZurca
agradecimentos
OSSO - Associação Cultural, pelo acolhimento
BOCA - palavras que alimentam, pelo convite