Há postos para a poesia?

Rudimentos vocais

Aspirações orais

Há dias sonoros

Inquietações hertzianas

Ortografias abertas

Poesias ampliadas

Ondas magnéticas

Escavadas na garganta

Sintonias do tempo

In ti mi da de

Arte Memória Política Opinião

Fruição

Meditação

 

E tudo a postos para escutarmos os espíritos?

Amantes da poesia, camaradas ouvintes, coreógrafas da língua, encenadoras dos lábios

Prontas para afinarmos os espíritos?

Artesãs de palavras, operárias do texto, juristas das frases feitas e cuidadoras de ideias

Tudo a postos para sermos poesia?

Há postos para a poesia?

 

 

 

 

Raquel Lima

Em qual playlist quer adicionar esta peça?

Tem a certeza que pretende eliminar a lista ?

Necessita de estar registado para adicionar favoritos

Login Criar conta

I. Rodas

Sobre o autor

Artiste multidisciplinar natural de Lisboa. Frequentou a Escola Artística António Arroio e a Escola de Arte e Design das Caldas da Rainha no curso de Artes Plásticas. O seu trabalho tem como foco as questões de género e de injustiça social. Acredita na transformação do tecido subconsciente social através do poder unificador e curativo da arte. “É com os dedos nas feridas uns dos outros que aprendemos”.

Peças