Uma palavra

Para a rádio já muitos escreveram manifestos de amor. Foi assim com Eugenio Finardi, na grande vaga das rádios livres italianas, quando criou “La Radio”, rastilho para Luca Argel compor e interpretar esta nova ode à telefonia.

Em qual playlist quer adicionar esta peça?

Tem a certeza que pretende eliminar a lista ?

Necessita de estar registado para adicionar favoritos

Login Criar conta

[A mulher subia as escadas]

Partilhar

A mulher subia as escadas, o rosto alheio

da chuva que a trazia aos patamares

A muito custo a mulher sustinha o rosto

enquanto subia até mim, que a esperava à porta de casa

com a minha mãe lá dentro perguntando-me

o que havia dentro da minha doença que tanto

tisnava as frontes de quem me ouvisse

cantar

A mulher pousava os calcanhares

no chão como uma estranha chuva

e desfigurava o rosto como se o desfocassem

muitas distâncias, um fôlego

suspenso no vidro

O rosto da mulher

era como morrer diante de qualquer paisagem, paciente

revelação

De dentro da casa, a tarde lenta e ressoada,

de dentro do tisno lento da minha carne sem dom

a minha mãe, desfeita de Deus e do pudor,

perguntava:

É isto um poeta?

 

 

 

De Alegria para o fim do Mundo (Porto Editora, 2020)

data de publicação
11.05.2022
GRAVAÇÃO E EDIÇÃO ÁUDIO
Oriana Alves
masterização
Sérgio Milhano, PontoZurca