Há postos para a poesia?

Rudimentos vocais

Aspirações orais

Há dias sonoros

Inquietações hertzianas

Ortografias abertas

Poesias ampliadas

Ondas magnéticas

Escavadas na garganta

Sintonias do tempo

In ti mi da de

Arte Memória Política Opinião

Fruição

Meditação

 

E tudo a postos para escutarmos os espíritos?

Amantes da poesia, camaradas ouvintes, coreógrafas da língua, encenadoras dos lábios

Prontas para afinarmos os espíritos?

Artesãs de palavras, operárias do texto, juristas das frases feitas e cuidadoras de ideias

Tudo a postos para sermos poesia?

Há postos para a poesia?

 

 

 

 

Raquel Lima

Em qual playlist quer adicionar esta peça?

Tem a certeza que pretende eliminar a lista ?

Necessita de estar registado para adicionar favoritos

Login Criar conta
Partilhar

Eunice Muñoz, 1928-2022.

Neste excerto de arquivo de 1984, do programa Nau Catrineta, a infinita actriz partilha – com alguma timidez, diz ela – um estúdio de rádio com Mário Viegas, Joaquim Pessoa e o anfitrião António Cardoso Pinto. Mário Viegas pede sentido às palavras. Eunice dá-lhes sentimento. A defesa da poesia, “fundamental na existência de qualquer um de nós”, porque “a poesia é para comer”.

 

data de publicação
19.04.2022
ARQUIVO
RTP
EMISSÃO ORIGINAL
08.07.1984
Antena 1
LOCUÇÃO E REALIZAÇÃO
António Cardoso Pinto
JORNALISTAS
Helena Vieira
Fernando António
SONORIZAÇÃO
José Manuel Gouveia
ASSISTÊNCIA TÉCNICA
Jorge Daniel
Tomé Duarte
Alves Dias
AGRADECIMENTOS
Antena 2

Peças relacionadas