Miguel Cardoso [compacto]

Os poemas escolhidos atravessam vários dos meus livros, onde muitos deles integravam sequências mais longas, a que foram arrancados. Ao dar-lhes esta nova morada precária, procurei fios ou ecos que formassem uma nova sequência, tendo como mote a ideia de travessia: como abrir caminho – no espaço, mas, mais ainda, no tempo? Entre outras coisas, estes poemas tratam do que o ontem nos deixou, da engrenagem das horas, do emprego dos dias, de avanços e recuos, de regressos e reveses, de parêntesis e promessas, da incerta antecipação de amanhãs. Os versos encadeiam-se e, ao mesmo tempo, hesitam, engasgam-se, saltam como agulha num disco descontínuo. Não é, portanto, apenas um encadeamento de poemas, mas uma sequência de poemas sobre o próprio processo de encadear, que vejo como um dos problemas centrais da poesia. Mesmo se o poema se esquece disso, a sua passagem à voz recorda-o: vê-se forçada a atravessar um terreno acidentado, a negociar a difícil passagem de um verso para o seguinte. Como os poemas, os dias.

 

Miguel Cardoso

Em qual playlist quer adicionar esta peça?

Tem a certeza que pretende eliminar a lista ?

Necessita de estar registado para adicionar favoritos

Login Criar conta
Partilhar

toleramos o frio pensando que podia estar ainda mais frio

do que isto, e que já esteve, e vai estar

 

você diz vamos cruzar essas pontes quando chegarmos nelas, mas quanto

dinheiro você apostaria que vai haver pontes sequer?

uma ponte pressupõe que alguém já esteve lá antes

o que raramente é o caso, se o contexto é específico o

suficiente

 

se não houver nenhuma ponte, nós vamos

nos estender sobre a brecha e andar

em cima das nossas próprias costas? (e essa não é

uma pergunta retórica)

quanto peso você calcula que o nosso bom senso aguenta?

 

tentamos pensar numa vida que não seja baseada

em negociações com todos os outros números possíveis

no termômetro, mas parece valer tão menos o esforço depois que descartes provou

(e com zero dados empíricos, aliás) que um ser humano jamais vai conceber

nada que já não existisse desde antes

 

muitas vezes eu sou a kelly kapoor do the office que disse agora eu sou super

inteligente, você poderia me perguntar kelly

qual é a maior empresa do mundo e eu responderia

blá blá blá, blá blá blá blá blá

te dando exatamente a resposta certa 

 

muitas vezes eu sou a lynette scavo do

desperate housewives que disse que a única coisa pior que só

seguir o protocolo pra manter o romance

vivo é nem se dar ao trabalho de seguir

o protocolo.

 

 

 

 

De você esqueceu uma coisa aqui (Macondo, 2019 e Enfermaria 6, 2020)

GRAVAÇÃO E EDIÇÃO ÁUDIO
Oriana Alves
masterização
Pedro Baptista, PontoZurca