Vivian Maier, Untitled (s/d)

Sobre a fotografia da criança que se deixa posar

de braços cruzados em frente à montra repleta

de luvas e que olha Vivian nos olhos, o historiador

destacou a importância de usar relógio. No entanto,

quanto mais a observo, mais prefiro que aqui fique

registada a condição de um certo absoluto que se

percepciona naquele olhar. E não se conseguindo

definir a natureza desse absoluto, nem o seu nome,

nem o seu tempo, nem o seu lugar, contemple-se

todo o rosto, determinado pela sujidade e pelo choro,

e a ausência de um sorriso, para se entender que

o que perturba nesta imagem, tão lírica quanto real,

é o excesso de um auto-retrato.

 

 

De Untitled (2017, volta d’mar)

Em qual playlist quer adicionar esta peça?

Tem a certeza que pretende eliminar a lista ?

Necessita de estar registado para adicionar favoritos

Login Criar conta

Partir as pernas ao poema

Partilhar

Releio o teu testamento futuro

deixo-te a piscina cheia, o álbum de fotografias

o resto fica para o leitor que faz perguntas

 

só porque fechaste os olhos não quer dizer

que não te veja porque não acabou (mas)

a tua alma deve superar isso em breve

 

sou o tipo de pessoa que pensa (que)

caminhar sobre as águas significa ressurreição

 

já não era sem tempo não te parece?

 

partir as pernas ao poema

para desconforto do leitor

 

atravessar as águas como muros do templo

preencher os espaços em branco

— aqui está um exemplo.

 

 

 

De Divisão da Alegria (2022, Tinta-da-China)

GRAVAÇÃO E EDIÇÃO ÁUDIO
Oriana Alves
masterização
Sérgio Milhano, PontoZurca