Vivian Maier, Untitled (s/d)

Sobre a fotografia da criança que se deixa posar

de braços cruzados em frente à montra repleta

de luvas e que olha Vivian nos olhos, o historiador

destacou a importância de usar relógio. No entanto,

quanto mais a observo, mais prefiro que aqui fique

registada a condição de um certo absoluto que se

percepciona naquele olhar. E não se conseguindo

definir a natureza desse absoluto, nem o seu nome,

nem o seu tempo, nem o seu lugar, contemple-se

todo o rosto, determinado pela sujidade e pelo choro,

e a ausência de um sorriso, para se entender que

o que perturba nesta imagem, tão lírica quanto real,

é o excesso de um auto-retrato.

 

 

De Untitled (2017, volta d’mar)

Em qual playlist quer adicionar esta peça?

Tem a certeza que pretende eliminar a lista ?

Necessita de estar registado para adicionar favoritos

Login Criar conta

Eucanaã Ferraz

Sobre o autor

Poeta brasileiro, publicou, entre outros, Desassombro (2002, Prémio Alphonsus de Guimaraens, da Fundação Biblioteca Nacional), Sentimental (2012, Prémio Portugal Telecom de Melhor Livro de Poesia). Os livros que lançou até 2016, oito no total, foram publicados num único volume – Poesia – pela Imprensa Nacional Casa da Moeda/Portugal. Em 2019 publicou Retratos com erro, simultaneamente no Brasil e em Portugal, com o qual venceu a primeira edição do Prémio Poesia Oeiras/PT. Ainda em Portugal, lançou, em 2020, a antologia O pavão do quarto andar e outros poemas portugueses. Organizou livros de artistas como Caetano Veloso ou Vinicius de Moraes e assina a edição de Coral e outros poemas, antologia de Sophia de Mello Breyner Andresen (2018). Também é professor de Literatura Brasileira na Faculdade de Letras da Universidade Federal do Rio de Janeiro e atua como consultor de literatura do Instituto Moreira Salles.