Uma palavra

Para a rádio já muitos escreveram manifestos de amor. Foi assim com Eugenio Finardi, na grande vaga das rádios livres italianas, quando criou “La Radio”, rastilho para Luca Argel compor e interpretar esta nova ode à telefonia.

Em qual playlist quer adicionar esta peça?

Tem a certeza que pretende eliminar a lista ?

Necessita de estar registado para adicionar favoritos

Login Criar conta
Partilhar

O frio não deixa dormir o osso entre ruínas aviões

farejam a mulher colhe pedras para o amante morto

para o filho desaparecido e a neve cai sobre eles.

 

Os relógios abandonaram a soberba desde ontem são cães

e têm medo.

É preciso não ter nenhuma pena dos relógios.

 

Os homens partem em barcos que não chegam

nem retornam e a língua que levam e o país

que não viram morrerão no alto-mar com eles.

 

Esta sirene contínua é o silêncio que não descansa

de lhe crescerem garras.

 

Os teatros se esfacelaram.

Os livros ficaram brancos.

 

Batem à porta.

 

Os sonâmbulos acordaram?

Batem à porta. Ninguém.

São os punhos escuros da neve

batendo contra o telhado.

 

 

 

Eucanaã Ferraz

in Retratos com erro (2019, Tinta da China)

 

data de publicação
15.02.2022
gravação
Rádio Batuta
masterização
PontoZurca
agradecimentos
Rádio Batuta